UMA SINGELA E MARCANTE HOMENAGEM


Na manhã do último sábado (04.05) realizou-se na ESAR um momento de homenagens às mães, estas genitoras que nos apontam os caminhos da vida.

O momento foi marcado por uma celebração eucarística, seguida de diversas homenagens prestadas por alunos, grupo de dança da ESAR e Banda de Música ESAR.

Na ocasião, Pe. Charles,SJ, que presidiu a celebração relembrou-nos do valor que há no amor de uma mãe e foi além ao nos despertar para a importância de valorarmos este amor que é singular e pode ser comparável ao terno amor que Deus tem por cada um de seus filhos e filhas, que é particular e incondicional dado a cada um em sua justa medida. Não obstante trouxe-nos a presença de Nossa Senhora, mãe incomparável à qual reverenciamos neste mês de maio que também é a ela dedicado pela Igreja.

Em homenagem à todas as mães, representadas assim no singular daquela que concede a vida todos os dias, a aluna Milena Martins teceu palavras dedicadas à sua heroína do dia-a-dia. Eis o texto na íntegra.

Mar das Rosas

Caros leitores,

Venho por meio desta carta apresentar a heroína da minha vida. Ela não sabe voar, nem levitar, não usa capa e nem máscara, mas tem superpoderes que seres humanos comuns não os têm. Querem saber quem é? É minha mãe. Eu diria até que ela é mais forte que a Mulher-Maravilha. Duvidam? Pois continuem lendo que vou expor abaixo só algumas das suas mágicas habilidades.

Para começar, o primeiro grande ato heroico da minha mãe foi conseguir se desprender daquele que se dizia seu príncipe, mas que, na verdade, não passava de um sapo, e cuidar e criar sozinha suas duas filhas, sem nem ao menos ter estudos aprofundados e uma profissão. Desde então, sua força aumentou de tal forma que pode ser comparada a um superpoder.

Além disso, desde que eu era um pequeno aglomerado de células, ela já me cercava de um sentimento muito forte, o mais forte que já existira, eu diria, o amor incondicional, que só o tem uma Super-Mãe. Hodiernamente, sendo um ser adolescente de 1,60 m, minha heroína adquiriu a habilidade de me conhecer de tal forma que nem eu mesma sou capaz, como, por exemplo: consegue perceber quando estou triste ou angustiada, mesmo que eu tente esconder, e quando isso acontece, ela imediatamente me faz sorrir com sua grande mágica da alegria. Isso é ou não um superpoder?

Ademais, a força que minha heroína possui supera até a da Mulher Maravilha, como já disse. E por que eu digo isso? Ela acorda por volta de 1 hora da manhã, toma um pouco de café, veste-se de uma determinação singular e vai trabalhar com o trato, a venda e a entrega de frangos, voltando para casa apenas às 10 horas da manhã com toda a disposição, que acredito vir do seu coração e da sua incrível força. Faz tudo isso para atender às necessidades da casa, as minhas e as da minha irmã. E o que é mais poderoso em tudo isso é que essa força se renova, pois ela repete isso todos os dias. Isso é ou não uma super força?

Outrossim, o diferencial da minha heroína é o fato de ela ser uma heroína da vida real, o que faz com que seus poderes sejam ainda mais verdadeiros. Olhem só do que esta Super-Mulher ainda é capaz: ela ainda tem a habilidade de salvar. Todos os dias me salva da fome, do perigo de viver sem educação, do desabrigo, da desesperança, da tristeza de viver sem amor, sem família e sem companheirismo. Ela é ou não uma Super protetora?

Bem, caríssimos leitores, creio que já apresentei exemplos e fatos suficientes que provam a super força da minha heroína-mãe e encerro esta carta fazendo analogia dela com a Rapunzel, pois como esta minha heroína jogou suas tranças mágicas para que eu pudesse agarrá-las. E eu estou a subir para chegar ao topo da torre da vida e, igualmente, ser, um dia, a Rapunzel na vida de alguém.

Sem mais para o momento,

Rosa Branca.

Assim desejamos a todas as mães, com seus "super poderes" o nosso: FELIZ DIA DAS MÃES!

Comente!